Disentangling the evolutionary history of the genus Barbus sensu lato, a twenty years adventure

Dublin Core

Title

Disentangling the evolutionary history of the genus Barbus sensu lato, a twenty years adventure

Description

Artigo do Livro: Professor Carlos Almaça (1934-2010) - Estado da Arte em Áreas Científicas do Seu Interesse.

Publisher

Maria Judite Alves
Alexandra Cartaxana
Alexandra Marçal Correia
Luis Filipe Lopes

Date

2014

Language

Inglês
Resumo em português

Type

Artigo cientifico

Abstract

Abstract
During the period 1965-1985, Professor Carlos Almaça produced a great amount of data on the Barbus group. From the end of the eighties, he joined a European consortium ("Barbus Roundtables") which aimed at developing methods and concepts, gathering numerous specialists from different fields like systematics and genetics, around Europe. At present, we may consider that the structure of Barbus sensu lato (s.l.) is relatively well known, even if some new results are still pending and other studies still needed. Barbus s.l. which was first defined on the trivial character of the presence of barbels around the mouth, has proved to include diploid, tetraploid and hexaploid lineages, themselves polyphyletic, which explains the difficulty to establish a comprehensive taxonomy. The numerous contributions published since 1990, based on karyology and molecular markers gave us a clear view of the main attributes of the evolutionary history of this complex group. First, according to taxonomy rules, the "true Barbus" (Barbus sensu stricto) are composed of tetraploid species distributed around the Mediterranean, including Danubian and Mesopotamian (Tigris and Euphrates) regions. They are composed of a north Mediterranean lineage (Barbus subgenus) and a south Mediterranean lineage (Luciobarbus subgenus). Other tetraploid Barbus s.l. are known in South Africa. Barbus s.l. includes also diploid and hexaploid lineages. Diploids are widespread and diversified, comprising Asian (mainly south-east Asia) and African species. The phylogenetic relationships between diploid and polyploid species need yet to be described. Hexaploid Barbus s.l. probably appeared after hybridization between tetraploid species (as evidenced for the genus Capoeta). A clear and homogeneous hexaploid lineage can be followed from Middle East up to South Africa. This rapid African radiation constituted the genus Labeobarbus, the "large Barbus", occupying the entire continent. The present contribution develops both the known structure of this "Chinese puzzle" and the history of its description, which is not yet finished.

Resumo
Durante os anos de 1965 a 1985, o Professor Carlos Almaça produziu uma grande quantidade de dados sobre o grupo Barbus. No final dos anos 80, ele aderiu ao consórcio europeu “Barbus Rountables”, que tinha por objectivo desenvolver métodos e conceitos, agregando vários especialistas de toda a Europa, de diferentes áreas como a sistemática e a genética. Presentemente, podemos considerar que a estrutura de Barbus sensu lato (s.l.) é relativamente bem conhecida, apesar de alguns novos resultados ainda carecerem de confirmação e  de estudos adicionais serem necessários. Barbus s.l. foi definido tendo por base um caracter trivial, a presença de barbilhos, tendo-se verificado que inclui linhagens diplóides, tetraplóides e hexaplóides, sendo estas polifiléticas, o que explica a dificuldade em estabelecer uma taxonomia. As numerosas contribuições publicadas desde 1990, baseadas em marcadores cariológicos e moleculares, permitem-nos ter um panorama claro da história evolutiva deste grupo complexo. Em primeiro lugar, e de acordo com as regras de taxonomia, os “verdadeiros Barbus” (Barbus sensu stricto) incluem espécies tetraplóides, com distribuição ao redor do Meditarrêneo, incluindo as regiões do Danúbio e da Mesopotânia (Tigre e Eufrates). Eles incluem a linhagem do norte do Mediterrâneo (género Barbus) e uma linhagem do sul do Mediterrâneo (género Luciobarbus). Existem Barbus s.l. tetraplóides na África do Sul. Os Barbus s.l. diplóides têm uma vasta distribuição e são muito diversificados, incluindo espécies asiáticas (em especial do sudoeste asiático) e africanas. As relações filogenéticas entre as espécies diplóides e poliplóides ainda estão por descrever. Pensa-se que os Barbus s.l. hexaplóides terão aparecido por hibridação entre espécies tetraplóides (conforme evidenciado para o género Capoeta). Uma rápida homogenização da linhagem hexaplóide pode ser observada do Médio Oriente para a África do Sul. Esta rápida radiação africana constitui o género Labeobarbus, os “grandes Barbus”, que se distribuem por todo o continente. A presente contribuição procurar desenvolver a estrutura deste “puzzle Chinês” e a história da sua descrição, a qual ainda não está fechada.

Bibliographic Citation

Berrebi P, A Chenuil, P Kotlík , A Machordom, CS Tsigenopoulos. 2014. Disentangling the evolutionary history of the genus Barbus sensu lato, a twenty years adventure. In: Professor Carlos Almaça (1934-2010) - Estado da Arte em Áreas Científicas do Seu Interesse. MJ Alves, A Cartaxana, AM Correia, LF Lopes (eds), Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa, pp. 29-55.

Files

PBerrebi-etal-PCA-2014-p29-55.pdf

Citation

Patrick Berrebi, Anne Chenuil, Petr Kotlik, Annie Machordom, Costas S Tsigenopoulos, “Disentangling the evolutionary history of the genus Barbus sensu lato, a twenty years adventure,” MUHNAC Digital, accessed November 18, 2017, http://digital.museus.ul.pt/items/show/3755.